Siga nossas redes

Popular

N13 | Sem Fiscela desta quinta-feira (22/04)

Publicado há

em

E não é que ele vem mermo! E cada um com suas prioridades.

O Amazonas sempre foi visitado por Presidentes da República em momentos importantes para o estado. Fernando Henrique realizou em Parintins a abertura de ano letivo escolar e na oportunidade fez a distribuição simbólica de livros didáticos neste evento que celebrou a doação de mais de 73 milhões de livros aos estudantes de todo o país. Lula inaugurou o Gasoduto Coari/Manaus, foi o primeiro presidente a visitar o Festival Folclórico de Parintins e foi o primeiro presidente a participar de uma reunião do Conselho de Administração da SUFRAMA. Dilma fez a entrega de mais de 5 mil unidades habitacionais do Residencial Viver Melhor e entregou o Barco Escola Samaúma II. E amanhã pousa em Manaus o Mito. Jair chega para inaugurar o anexo 2 do subutilizado Centro de Convenções Vasco Vasques. O puxadinho faz parte do projeto original, aprovado ainda no governo de Lula, e será entregue nesta sexta-feira aos manauaras. Em seguida, Bolsonaro se dirige à Assembleia Legislativa do estado onde sairá de lá Cidadão do Amazonas. Bem que Bolsonaro poderia assinar um compromisso com a manutenção da Zona Franca de Manaus e com o cumprimento das promessas que ele fez hoje na Cúpula do Clima em relação à Floresta Amazônica. Mas aí é querer demais.

Explicar o inexplicável

Repercutiu muito mal a proposta do Deputado Estadual Delegado Pericles de conceder o título de Cidadão do Amazonas ao Presidente Bolsonaro. Desde terça-feira que Pericles tenta, a todo custo, nas suas redes sociais, apresentar argumentos, fatos, números que justifiquem a concessão da honraria ao Jair. Fato é que quanto mais se fala, mais embassada fica a situação do deputado bolsonarista. Tirando a extrema direita, todo o resto da população ficou questionando indignada o porquê da concessão dessa honraria. Alguns deputados fizeram questão de pedir à Mesa Diretora da Assembleia que registrasse as suas ausências na sessão que aprovou o título. Esses não querem ter que explicar o inexplicável aos seus eleitores.

Juíza botou moral em Manacapuru.

A juíza da 1.ª Vara da Comarca de Manacapuru, Aline Lins, determinou que o Estado do Amazonas construa e entregue em funcionamento, no prazo de dois anos, um presídio com 286 vagas no município. Cansada dos descasos com a segurança pública na Princesinha do Solimões, a magistrada determinou que o Estado disponibilize, no mínimo, 58 agentes penitenciários ou terceirizados para prestar serviços na unidade prisional de Manacapuru e que deixe de ficar colocando presos provisórios ou condenados na Delegacia de Polícia Civil da cidade. Não é de hoje que a questão da segurança pública na Terra das Cirandas é um fato que deixa a população refém. São constantes os assaltos e guerras de facções envolvidas com o tráfico de drogas com a inoperância e o descaso dos poderes públicos.

O polêmico viaduto do Manoa.

A polêmica sobre a péssima obra da prefeitura de Manaus do viaduto do Manoa segue com novidades e absurdos a todo momento. Esta semana, a população indignada “inaugurou” na marra a passagem viária. Foi preciso a prefeitura colocar blocos de concreto para impedir novamente o acesso dos veículos. A obra de quase R$ 50 milhões parece mais um tobogã devido às inclinações e ondulações que possibilitam um acidente grave. Já teve ônibus engatando no viaduto, carro desgovernado descendo a ladeira, laudo do CREA/AM condenando a obra e a construtora responsável pelo trambolho garante que a estrutura não cai. O vereador Capitão Carpê, talvez sem ainda saber qual o seu papel na Câmara Municipal, em seu twitter fez a seguinte pergunta: “O ex-prefeito Arthur não será responsabilizado por ter entregado viaduto do Manoa com uma série de falhas de infraestrutura, que foi construído num valor orçado de R$ 47,1 milhões e que nunca foi utilizado pela população?” Ora, vereador, quem tem que verificar isso é o senhor. Marrapá?!

Esquecidos e frustrados do parque

A coluna foi procurada por moradores do bairro Parque 10 que lamentaram a indiferença do poder público municipal com o bairro. O fato é que a prefeitura de Manaus ainda não realizou, ou sequer sinalizou, nenhum feito para a melhoria do Centro Social Urbano do bairro, nem do Parque do Mindú e muito menos iniciou ações de limpeza das ruas que margeiam o igarapé do Mindú. O misto de insatisfação com frustração parte do fato de que o Secretário de Meio Ambiente de Manaus, Sabá Reis, sempre teve sua base política o Parque 10 e o Bairro da União e todos os mais de 40 mil moradores da região acreditavam que o bairro voltaria a ter a atenção e benesses desta secretaria. Nas décadas de 1950 até 1970, o Parque 10 de novembro era muito frequentado pela sociedade manauara por ser uma referência de lazer e respeito ao meio ambiente.

Continue lendo
1 Comentário

1 Comentário

  1. Eliana Coelho

    23 de abril de 2021 no 20:40

    Realmente hoje 23 de Abril vimos como o povo de Manaus estava muito contrariado porque foi dado ao Presidente Bolsonaro o título de cidadão Manauara, e para demonstrar isso acordaram cedo, colocaram suas camisas verde e amarela, algumas com a foto do Presidente e de raiva gritavam mito! mito Quanta indignação, nunca vi tanta revolta
    Vcs estão de brincadeira, mande esses deputados, senadores, vereadores para rua e vamos ver como serão recebidos pelo povo Acho que todo mundo ouviu o que o povo gritou para Wilson Lima, mas parece que ninguém dessa coluna ouviu !!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

•••
•••

+ vistos

×